“SE SEUS PROJETOS FOREM PARA UM ANO,SEMEIE O GRÂO.SE FOREM PARA DEZ ANOS,PLANTE UMA ÁRVORE.SE FOREM PARA CEM ANOS,EDUQUE O POVO.”

“Sixty years ago I knew everything; now I know nothing; education is a progressive discovery of our own ignorance. Will Durant”

OBRIGADO DEUS PELA VIDA,PROTEGENOS E GUARDANOS DE TODO MAL


AUTOR DO BLOG ENG. ARMANDO CAVERO MIRANDA SAO PAULO BRASIL

sexta-feira, 29 de junho de 2012

ECOENERGY ENERSOLAR BRASIL CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS E RENOVAVEIS PARA GERAÇAO DE ENERGIA

Centro De Exposições Imigrantes - São Paulo, Brasil
De 11 a 13 de julho de 2012

ENERSOLAR+ BRASIL é a primeira feira internacional para a indústria fotovoltaica, térmica e de energia solar concentrada (CSP) no Brasil, e ocorrerá de 11 a 13 de julho de 2012 em São Paulo.
ENERSOLAR BRASIL 2012 promove o desenvolvimento de oportunidades de negócios através da indústria solar do Brasil a da América do Sul, e apresenta empresas nacionais e internacionais comprometidas em contribuir com o rápido crescimento e lucratividade desses mercados. ENERSOLAR BRASIL 2012 espera receber mais de 200 expositores e 12.000 visitantes.
O Brasil, com uma população com mais de 190 milhões de habitantes e o dobro de território se comparado à Europa, vem experimentando um crescimento significativo há mais de dez anos, tornando-se a sexta potência econômica do mundo. Atravessado ao norte pela Linha do Equador e ao sul pelo Trópico de Capricórnio, o Brasil é o mercado ideal para o desenvolvimento da energia solar.
O Brasil depende das hidrelétricas para a provisão de mais de ¾ de sua eletricidade, mas as políticas governamentais atuais têm foco principalmente na melhoria da eficiência da matriz energética, tanto em habitações quanto na indústria, bem como no aumento de fontes renováveis, tais como energia solar, biomassa e eólica.
O total instalado de capacidade de energia fotovoltaica no Brasil é estimado entre 40 e 60 MWs, dos quais 50% são destinados para os sistemas de telecomunicações e 50% para os sistemas de energia rurais.
ENERSOLAR+ BRASIL 2012 será uma importante oportunidade para todos os profissionais do setor interessados neste importante mercado da América do Sul, que, em um futuro próximo, se desenvolverá ainda mais.
ENERSOLAR+ BRASIL será um evento anual.
O evento foi criado graças à joint venture entre Artenergy Publishing e Fiera Milano, este último tendo adquirido as participações majoritárias da CIPA, o organizador das feiras mais importantes neste país sul-americano. ENERSOLAR + BRASIL é o primeiro passo na criação da rede internacional de ENERSOLAR+.


Vendas internacionais e Marketing na Itália
Vendas Nacionais e Secretaria
Via Antonio Gramsci, 57
20032 Cormano - Milan (Italy)
Tel.: +39-02-66306866
Fax: +39-02-66305510
E-mail: info@enersolarbrasil.com Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
R. Correia de Lemos
São Paulo - Brasil
Tel. +(55)-(11)-5585-4355
Fax +(55)-(11)-5585-4359
http://www.enersolarbrasil.com.br/

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Projeto de microgrids cria desafio técnico e de negócio CISB CENTRO DE PESQUISA E INOVAÇAO SUECO BRASILEIRO

CISB desenvolverá estudo em parceria com UFMG e KTH para propor modelo regulatório e de negócio em projeto da CEMIG

As energias renováveis são tema cada vez mais constante na pauta de governos, mas ainda pouco se aplica na realidade dos centros urbanos. O CISB faz parte de um projeto que pretende trazer para o Brasil a integração de sistemas autônomos de geração de energia limpa, os chamados microgrids, com a rede central de distribuição. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) aprovaram o projeto em edital lançado para seu programa de pesquisa e desenvolvimento para o setor energético.
O engenheiro de Tecnologia e Normalização da Cemig, Ricardo Carnevalli, afirma que a ideia é muito promissora, mas envolve dois principais desafios. O primeiro é técnico. O projeto piloto deverá trabalhar com a cogeração de energia solar e a gás abastecendo certo grupo de residências. Esse microssistema pode ser autossuficiente, pode precisar de complementação da rede comum de energia elétrica ou pode gerar excesso na produção local e redirecionar essa energia para a rede da cidade. Isso significa que a rede, que atualmente apenas abastece essa área, poderá também receber um fluxo de energia na direção contrária – o que implica na necessidade de um sistema capaz de se reprogramar para essas mudanças de forma automatizada e à prova de blackouts.
O segundo desafio está no desenvolvimento de regulação desse novo sistema. “A implantação dos microgrids muda a relação entre a Cemig e o consumidor, uma vez que ele agora pode ser ao mesmo tempo comprador e fornecedor”, explica Carnevalli. “Atualmente, no Brasil, ainda não há uma regulamentação bem definida para aplicarmos ao modelo de microgrids e tudo ainda é muito incipiente. É preciso então também repensar o nosso modelo de negócios nesse novo contexto. O que há atualmente é um fluxo unilateral, mas existem outras formas adotadas em outros países e é preciso levar essas alternativas em conta”.
É justamente na solução do segundo desafio que entra o projeto coordenado pelo CISB, por meio de parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais – representada pela professora Eleonora Saad – e o KTH Royal Institute of Technology – com a professora Semida Silveira. Elas coordenarão pesquisadores na área de desenvolvimento urbano para a criação de um novo modelo de negócio para atender essa nova demanda na área de energia.
Carnevalli entende que os microgrids trazem ao mesmo tempo um cenário de risco e oportunidade. As companhias de energia brasileiras hoje faturam com a venda de energia em cima de consumo medido. Quando os consumidores param de comprar dessas empresas porque contam com uma fonte alternativa, há a perda de receita. “Se essas redes independentes crescem e ganham proporção, esse risco é ainda maior”, acredita. “Por outro lado, enxergamos oportunidade nesse risco. A companhia pode ser sócia do empreendimento com serviços de operação e manutenção, por exemplo”.
A gerente de parcerias do CISB, Alessandra Holmo, acredita que o projeto tem uma perspectiva promissora, uma vez que aliará ao trabalho de uma universidade brasileira de ponta a experiência sueca com projetos bem sucedidos de microgrids. “Na Suécia, o conhecimento sobre microgrids é bem consolidado. Vamos lançar mão de uma competência existente para entender e propor as melhores soluções para colocar em prática no contexto brasileiro”, diz. Segundo ela, o ambiente de colaboração proposto pelo projeto é importante por se tratar de uma área crítica.
O projeto terá duração de três anos e a expectativa é que inicie as operações a partir de maio. A colaboração entre os dois países será reforçada com a realização de workshops anuais, sendo o primeiro na Suécia e os seguintes no Brasil. “Serão momentos importantes para dispor do conhecimento existente sobre o assunto, fazer contatos e estabelecer uma rede de relacionamentos estratégicos que podem se transformar em novas oportunidades de parceria para a Cemig”, explica Alessandra. Nesses eventos, profissionais envolvidos no projeto e especialistas ligados ao tema discutirão o estado da arte na área de microgrids e os encaminhamentos do programa da Cemig.

CENTRO DE PESQUISA E INOVAÇAO SUECO BRASILEIRO

DUAS VISÕES

Qual o papel da universidade em cooperações internacionais voltadas para a inovação?


Guilherme Sales Soares de Azevedo Melo, diretor de Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e Sociais do CNPq
"O papel da universidade é total. Buscar a integração em projetos que envolvam o mercado é o desafio que tem feito com que procuremos aumentar a participação da universidade em projetos que não sejam puramente acadêmicos. Essa atuação pode acontecer através de parques tecnológicos, incubadoras ou estágios coordenados com empresas, por exemplo. Para isso, nos espelhamos em exemplos internacionais de êxito em cooperação para a inovação como a Universidade de Edimburgo e o Imperial College, de Londres, e acreditamos na internacionalização para criar programas de ponta. Uma forma muito interessante dessa troca está acontecendo com o programa Ciência sem Fronteiras, a partir do qual empresas estrangeiras já têm manifestado a intenção de criar centros de pesquisa dentro de universidades brasileiras. A vantagem de tal parceria é que essas empresas podem lançar mão da experiência de pesquisadores brasileiros de qualidade, enquanto esses profissionais têm acesso a novas estruturas e desafios baseados nas necessidades do mercado".



Johan Carlsten, vice-presidente da Chalmers University of Technology
"A Chalmers University of Technology tem relações com várias empresas ao redor do mundo. Nós acreditamos que é muito importante ouvir o mercado para melhorar as possibilidades de novos conhecimentos. O conhecimento desenvolvido dentro da universidade precisa estar a serviço dos atuais e futuros desafios do mundo. Para fazer parte disso, é importante estar presente globalmente. É por isso que nós cooperamos com o CISB – podemos, assim, estar conectados com atividades globais. Acreditamos que a educação é uma maneira de conduzir esses desafios e o programa Ciência sem Fronteiras do governo brasileiro é uma ferramenta importante para criar um rico intercâmbio entre pessoas, empresas e universidades. Normalmente, lidar com essa interface é muito fácil desde que você se concentre no conhecimento competitivo. Quando a universidade está perto do mercado, é possível trabalhar em um sistema de inovação aberta. Esse contato é estimulante para a criatividade e pode acontecer de diferentes maneiras. Por exemplo, a Chalmers pode atuar como anfitriã para pesquisas de empresas, assim como os nossos professores podem participar de programas de mobilidade dentro de outras organizações".

http://www.cisb.org.br/boletim/BoletimCISB_002_2012_mar_pt.html

MEDIDAS CONTRA INTERFERENCIA ELETROMAGNETICA EM INSTALAÇOES DE BAIXA TENSAO


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Estudo prevê investimentos de 700 milhões de euros para desenvolver silício em BRASIL

 SOURCE WEBSITE
Solar | 12.03.2012 Enviar esse Artigo Estudo prevê investimentos de 700 milhões de euros para desenvolver silício Mineral é a principal matéria prima para a fabricação dos painéis fotovoltaicos As regiões de Foz do Iguaçu, no Brasil, e Hernandárias, no Paraguai, poderão receber nos próximos anos investimentos de até 700 milhões de euros para desenvolvimento de uma cadeia industrial do silício. O mineral, encontrado em Minas Gerais, é a principal matéria prima para a fabricação dos painéis fotovoltaicos. Um estudo final sobre o projeto, chamado de Silício Verde, foi apresentado na última quinta-feira (8/03), no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), pelo superintendente de Energias Renováveis da binacional, Cícero Bley, além de representantes da companhia alemã Centrotherm. A empresa é considerada a segunda maior fabricante do mundo de equipamentos para a cadeia de produção do silício. Segundo Bley, o estudo é resultado do acordo de cooperação e transferência de tecnologia assinado em agosto de 2011 pelo diretor geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, e o presidente e CEO da Centrotherm, Peter Fath. Bley explica que o passo agora é buscar financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ao banco alemão KfW, para a cobertura dos custos de um estudo de viabilidade econômica. O cronograma prevê a conclusão do estudo de viabilidade até dezembro de 2012 e a implantação do projeto em mais três anos. “Esperamos anunciar o projeto Silício Verde durante o Dia Mundial da Energia, evento da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20”, analisou Samek.
 O processamento de 4 mil toneladas de silício purificado pode resultar em capacidade de geração de energia por meio de painéis de 638 Megawatts (MW) em horário de pico por ano, o equivalente a quase uma turbina de Itaipu (700 MW). "A unidade levaria 20 anos para fazer mais uma Itaipu", acrescenta o superintendente, levando em conta as 20 turbinas da hidrelétrica. "A cadeia de suprimentos dos painéis vai ativar uma série de indústrias produtoras de partes como vidro, plásticos, conexões, painéis de comando, monitoramento telemétrico e outros." Segundo Bley, embora seja um dos maiores produtores de silício do mundo, o Brasil apenas exporta o mineral na forma bruta.
 O superintendente de Energias Renováveis de Itaipu, Cícero Bley Junior, diz que os estudos confirmaram o potencial de melhor aproveitamento de silício e da energia solar no Brasil. "Hoje o silício sai do país e volta em forma de painel", diz, sobre o beneficiamento do material na China, Estados Unidos e outros países. Ele explica que a purificação do silício para a confecção das placas demanda energia elétrica, que Itaipu tem para fornecer. O mineral é encontrado principalmente em Minas Gerais.

PARTICIPACION EN PROGRAMA ENCUENTRO CON LA CIENCIA DIRIGIDO POR DR. MODESTO MONTOYA

PARTICIPACION VIA INTERNET DESDE BRASIL EN EL PROGRAMA DEL DR. MODESTO MONTOYA ENCUENTRO CON LA CIENCIA EL TEMA ES LA INNOVACION Y LA NECESIDAD DE TENER UN MINISTERIO DE CIENCIA Y TECNOLOGIA

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Ultra-Compact and Ultra-Efficient Three-Phase PWM Rectifier Systems for More Electric Aircraft



A dissertation submitted to the ETH Zurich for the degree of DOCTOR OF SCIENCES presented by MICHAEL HARTMANN Dipl.-Ing., M.Sc. TU-Wien born 26th Mai 1978 citizen of Zwischenwasser, Austria accepted on the recommendation of Prof. Dr. J.W. Kolar, examiner Prof. Dr. P. Mattavelli, co-examiner 2011 LINK FULL THESIS
LINK FULL THESIS

Korea Research Institute of Standards and Science (KRISS)

sábado, 23 de junho de 2012

IMAX - Mission to Mir 1/3

Since March 1995, NASA astronauts have served as crew members aboard the Russian Space Station Mir. The NASA program supporting this endeavor is commonly known as International Space Station Phase 1. MISSION TO MIR is a filmed journal of this historic alliance. Filmed in space by the astronauts, this unprecedented 40-minute, giant-screen tour of Russia's Space Station Mir gives viewers a unique look inside the weightless home in space that has been occupied by international teams of scientists since 1986.

The Space Shuttle (Narrated by William Shatner)

Retificador Trifásico Onda Completa

Retificador Trifásico2 ELETRONICA INDUSTRIAL

Cursos Unicamp: Física Geral 1 / aula 3 Movimento em uma dimensão

Movimento em uma dimensão Aula do curso regular de graduação Física Geral I, do Instituto de Física "Gleb Wataghin" da Universidade Estadual de Campinas, com o professor Luiz Marco Brescansin.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

IPV6 - A USP no lançamento mundial do IPV6

VIDEO-IPV6 - A USP no lançamento mundial do IPV6 


Descrição

Título : IPV6 - A USP no lançamento mun
Resumo : IPV6 - A USP no lançamento mundial do IPV6 Há aproximadamente 1 ano, em 8 de Junho de 2011, a Internet Society promoveu um teste global de uso do IPv6, conhecido como World IPv6 Day. Durante vinte e quatro horas, importantes players na Internet ativaram o novo protocolo em seus sítios na Web. O teste tinha como objetivo verificar que tipo de problemas aconteceriam na ativação do IPv6, e foi um completo sucesso. De forma geral, simplesmente não houve problemas. Como a maioria dos sítios Web brasileiros não teve condições do participar do World IPv6 Day, o NIC.br coordenou um novo teste. De 6 a 12 de Fevereiro de 2012 foi realizada a Semana IPv6. Durante a Semana sítios Web, provedores de acesso e de serviços Internet ativaram o IPv6 num grande teste regional e houve atividades também na Campus Party Brasil. Foram 196 websites, nove datacenters e provedores de hospedagem e 21 provedores de acesso, incluindo Globo.com, Terra, UOL, iG, Tecla, Kinghost, entre outros. Como no World IPv6 Day, o teste também mostrou-se
Autor : USP / RNP
Publicação : 06/06/2012
Duração : 03:00:35

sexta-feira, 15 de junho de 2012

SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE





SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE Apresentação e defesa pública de Mestrado que foi executado com apoios do Instituto Nacional de Ciencia e Tecnologia de Energias Renováveis e Eficiencia Energética da Amazonia, INCT-EREEA, do CNPq, através do Processo 55567/2010-8 “Desenvolvimento de Medição e Qualificação de Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede” e, mais recentemente, através das atividades do Projeto PD-0068-0029/2011 “Arranjos técnicos e comerciais para inserção da geração solar fotovoltaica na matriz energética brasileira”, Chamada P&D Estratégico 13 da Agencia Nacional de Energia Elétrica, ANEEL. QUALIFICAÇÃO E ETIQUETAGEM DE INVERSORES PARA SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE Autor: Aimé Fleury de Carvalho Pinto Neto Orientador: Prof. Dr. Roberto Zilles Este trabalho apresenta o desenvolvimento de uma metodologia para a etiquetagem e qualificação de inversores para Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede, a qual servirá de proposta de procedimento para inclusão no Regulamento de Energia.
TESIS MESTRADO EM PARTES
SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE PARTE1 TESIS MESTRADO EM PARTES
SISTEMAS FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE PARTE 2

Using LEAP for Strategic Integrated Economy - Energy - Environment Studies in Brazil Energy, Economy and Environmental Policy Modeling Segundo Curso Internacional de Verão do IEE – USP – PRH-04 13 a 17 de Fevereiro de 2012


PRIMEIRO ENCONTRO TURCO-BRASILEIRO DE PLANEJAMENTO ENERGÉTICO
FIRST TURKISH-BRAZILIAN MEETING OF ENERGY PLANNING
&
Segundo Workshop Internacional de Verão do IEE – USP – PRH-04
February 13 to 17, 2012

A 5-day lecture in

By Professors:

Decio Katsushigue Kadota – Universidade de São Paulo
Gisele Ferreira Tiryaki - Universidade Federal da Bahia
Gürkan Kumbaroğlu - Boğaziçi University, Istanbul
Luiz Tadêo Siqueira Prado – Universidade de São Paulo

 

Luiz Tadêo Siqueira Prado (tprado@iee.usp.br) é Graduado em Economia (FEA-USP) e recebeu o “Certificat d'Etudes Economiques de l'Energie" (1976) e o DEA " Economie de l'Energie" (1979) pelo “Institut Economique et Juridique de l'Energie”, da Universidade de Ciências Sociais de Grenoble- França. Foi funcionário da CESP- Centrais Elétricas de São Paulo (1968-1999), onde foi gerente de diversas areas ligadas ao planejamento energético, com foco em estudos econômicos regionais, estudos de mercado, balanços e matrizes energéticas e modelagem energética ligada a demanda,. Participou e coordenou diversos estudos sobre estes temas tanto no ambito do governo estadual como federal. Desde 2000, é pesquisador associado ao I.E.E. – Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo onde tem desenvolvido diversos estudos ligados a aplicação do modelo LEAP – “Long-range Energy Alternatives Planning System”  –  para entidades como a NREL (National Renewable Energy Laboratory), ANP (Agencia Nacional de Petróleo) e  PETROBRAS.

LINK FULL PAPER

quinta-feira, 14 de junho de 2012

“Retificador Trifásico de 18 Pulsos com Estágio CC Controlado por Histerese Constante








“Retificador Trifásico de 18 Pulsos com Estágio CC
Controlado por Histerese Constante”

RODOLFO CASTANHO FERNANDES
Orientador

: Prof. Dr. Falcondes José Mendes de Seixas



Dissertação apresentada à Faculdade de
Engenharia - UNESP – Campus de Ilha
Solteira, para obtenção do título de

Mestre em Engenharia Elétrica.

Área de Conhecimento: Automação.
Ilha Solteira – SP-BRASIL
LINK FOR FULL THESIS UNIVERSITY

dezembro/2010

QS University Rankings: Latin America - Brazilian dominance points to future economic might


Universities throughout Latin America are in a period of transition. Though precise circumstances vary by country, factors such as the growth in scientific research, massification of social demand for higher education, increased student mobility and the rise of private universities have exerted an influence across the region. These rankings aim to more closely reflect these circumstances than is possible in the overall QS World University Rankings®, as well as giving greater exposure to up-and-coming Latin American institutions. The new QS methodology employs criteria that address region-specific issues, such as the proportion of faculty with a PhD, research productivity per capita and web presence. We have also drawn on by far the largest surveys of Latin American academics and employers ever conducted. From an international perspective, a look at the top 200 provides further evidence of the emergence of Brazil as a future economic power alongside fellow BRIC nations Russia, India and China. Universidade de São Paulo (USP) tops the table, with Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) and Universidade Federal de Minas Gerais joining it in the top ten. There are an impressive eight Brazilian universities in the top 20, and 31 in the top 100. Higher education has been earmarked as the engine-room to help Brazil fulfil its massive potential for economic growth, with enrolment tripling from two to six million in the last decade. However, the rankings also show the extent to which Brazil has prioritized research. A remarkable eight of the top ten for papers per faculty are Brazilian, alongside nine of the top ten for the proportion of academic with a PhD.

Recent OECD figures show that education investment grew more in Brazil than in any other OECD nation from 2000-2008 (as a proportion of GDP). The same report shows that Brazilian graduates have comfortably the highest career earnings premium of any OECD nation, which suggests that a more educated workforce is already beginning to reap dividends for the economy as a whole.
Alongside Brazil, universities from Chile, Mexico, Colombia and Argentina feature in a diverse top ten. A poll of Latin American academics named UNAM the region’s top institution for academic reputation, while Universidad de Buenos Aires was named by employers as the top producer of graduate talent. However, USP’s overall strength saw it top the table, ranking as one of the top four institutions in all but one of the seven indicators.
Mexico is the second best-represented nation, with 35 universities in the top 200, led by UNAM (5) and Tecnológico de Monterrey (ITESM) (7). The leading Mexican universities are highly regarded by both academics and employers throughout the region. UNAM ranked number one in the academic reputation survey, while ITESM was the second best-placed university in the employer reputation survey. However, Mexican universities generally perform less well in the research measures. Just two Mexican universities make the top 50 for papers per faculty, with similar scores recorded for citations per paper.
A total of 13 nations are represented in the top 200: Brazil (65), Mexico (35), Argentina (25), Chile (25), Colombia (21), Peru (6), Venezuela (5), Uruguay (4), Costa Rica (3), Cuba (3), Ecuador (3), Panama (1), Paraguay (1), and Puerto Rico (1).

LEIA USP A MELHOR UNIVERSIDADE DA AMERICA LATINA

terça-feira, 12 de junho de 2012

CONFERENCIA INTERNACIONAL harry orsos-parte 1 ECONOMIA DEL CONOCIMIENTO REINGENIERIA

Conferencia: Energia Solar Fotovoltaica - Aplicaciones en PERU

INCUBADORAS DE EMPRESAS PARTE 2 UNIVERSIDADE SAO PAULO BRASIL

Alianza Estratégica Perú-Brasil Por Miguel Vega Alvear en el Foro de la FIESP SAO PAULO BRASIL

ALIANZA PERU BRASIL ESTE ARTICULO HA SIDO PUBLICADO EN EL WEBSITE DE LA CAPEBRAS CAMARA BINACIONAL DE COMERCIO E INTEGRACION PERU BRASIL

 CAPEBRAS

SENSIBILIDADE DE EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS A VARIAÇOES DE TENSAO DE CURTA DURACAO SELENIO ROCHA SILVA DO DEPARTAMENTO ENGENHARIA ELETRICA DA UNIVESIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BRASIL

SAFT EMPRESA GLOBAL BATERIAS CONCLUIU SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE ENERGIA SOLAR

ARTICULO PUBLICADO NA REVISTA ELETRICIDADE MODERNA No 457 ABRIL 2012 ARANDA EDITORA ANO XL BRASIL

domingo, 10 de junho de 2012

Power Quality Improvement of Single-Phase Grid-Connected Photovoltaic Inverter



A Dissertation for the Degree of Doctor of Philosophy

Power Quality Improvement of Single-Phase
 Grid-Connected Photovoltaic Inverter

Department of Information and Communications Engineering
Graduate School

Chungnam National University

By

Trung-Kien Vu
Advisor
Se-Jin Seong
February 2011 
 
ABSTRACT*
 
The economical and environmental impacts of fossil fuels have forced society to  investigate sustainable solutions.  The  interest  has
            focused on the renewable energy sources since the green and clean benefits. Consequently, investments in research and development in the field of power electronics have increased proportionally, especially in high voltage and high power grid-connected systems.
 
The distributed power generation (DG) systems are becoming more common as the need  for electric power increases because of taking advantage of using different energy sources such as wind and solar. A few examples are hybrid cars, solar houses or hospitals in remote  areas  where  providing  clean,  efficient  and  reliable  electric power is critical to the loads. In such systems, the power is distributed from the source side to the load side via power electronic converters in the system. At low and medium power applications, the task is often left to single-phase inverters where they are the only interface between sources connected to dc bus and loads connected to an ac bus. This dissertation investigates the power quality improvements to properly regulate  the  power  flow  between renewable  source  and  the  utility network. The control method for single-phase inverters used in low and medium power DG systems is based on (and also takes the advantage of) the well-known d-q transformation (which is mostly employed for three-phase   converters’   analysis   and   control   design).   The transformation requires at least two independent phases for each state variable in the system; thus a second phase must  be created. This virtual-phase can be done by DSP implementation, hence there is no need for additional hardware in the system, making it more attractive and cost effective method. 
 
The Proportional-Resonant (PR) controller based current control scheme,   compared   with   conventional  Proportional-Integral (PI)
            controller, not only provides a superior transient  response but  also provides a zero steady-state error as well as a high disturbance rejection and a low output current THD under grid-tie mode operation. The entire controller can be implemented in a DSP digital control board
LINK THESIS

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Design and Implementation of Digital Dimming Electronic Ballast

Department of Electrical Engineering Journal

Design and development of digital dimming electronic ballast

Design and Implementation of
The Digital Dimming Electronic Ballast

Advisor: He Jinman
Graduate Student: Wang Ming Shan
 China 2002
CHUN YUAN CHRISTIAN UNIVERSITY
Abstract

    This  thesis  aims  to  present  the  design  and  practice  of  a  digital electronic ballast for fluorescent lamps. It introduces the characteristics of lamp, DC/DC converter, power factor correction circuit IC  6561, and resonant circuit IC 6574, The electronic ballast is developed by using IC 6561and IC  6574, and other circuits to meet the need for high power factor, long lamp life, high luminous efficiency, and dimming control.
    Also the circuit operation principle, analysis of carefully designed circuit parameters, practical consideration of self-excitation, and dimming control are explained in detail .The test of real design is carried out at last, and the result shows the proposed digital electronic ballast can fulfill the design purposes.

terça-feira, 5 de junho de 2012

segunda-feira, 4 de junho de 2012

CONTROL AND POWER SUPPLY FOR RESISTANCE SPOT WELDING (RSW) (Spine title: Control and Power Supply for RSW) (Thesis format: Monograph) by Meranda Salem



Graduate Program in Electrical and Computer Engineering
A thesis submitted in partial fulfillment
of the requirements for the degree of
Doctor of Philosophy
The School of Graduate and Postdoctoral Studies
The University of Western Ontario
London, Ontario, Canada
© Meranda Salem 2011

LINK DOWNLOAD

PWM RECTIFIER WITH ACTIVE FILTERING PHD THESIS M.Sc MARIUSZ CICHOWLAS.


Warsaw University of Technology
Faculty of Electrical Engineering
Institute of Control and Industrial Electronics

Ph.D. Thesis
M. Sc. Mariusz Cichowlas

Thesis supervisor
Prof. Dr Sc. Marian P. Ka mierkowski

Warsaw, Poland 2004

The work presented in this thesis was carried out during my Ph.D. studies at the Institute of Control and Industrial Electronics at the Warsaw University of Technology. Some parts of the work  were  realized  in  cooperation  with  University  of  Aalborg,  Denmark  (International Danfoss Professor Programme - Prof. Frede Blaabjerg).
LINK DOWNLOAD THESIS

sábado, 2 de junho de 2012

DESARROLLO AEROESPACIAL EN EL PERÚ-27 10 2011-SOCIEDAD LASER

Ing. Martín Canales Romero, Agencia Espacial Alemana- Programa Agencia Espacial Europea Ing. Jaime Estela Brinda Servicios a la Agencia Espacial Alemana Conducción: Ing. CIP Luis Castañeda Lizárraga En este tema del "Desarrollo Aeroespacial en el Perú" El Ing. Luis CASTAÑEDA L. se comunica vía SKYPE con el Ing.. Martín CANALES R. y el Ing. Jaime ESTELA peruanos residentes en Alemania quienes brindan servicios para la Agencia Espacial Alemana, programa Agencia Espacial Europea y pertenecen a la Red Europea de Ingenieros Peruanos-REIP.

Ing. Martín Canales y Jaime Estela FORO SATÉLITE PARA EL DESARROLLO ECONÓMICO...


Ing. Martín Canales y Jaime Estela de la Agencia Aeroespacial de Alemania. FORO SATÉLITE PARA EL DESARROLLO ECONÓMICO E INCLUSION SOCIAL DEL PERÚ,

"Las patentes y el grado de innovaciónde una sociedad" María Rivera y Modesto Montoya


Seminario "Respondiendo a las necesidades de la empresa: Rol de la Propiedad Intelectual en el marco de los Fondos Fincyt, Fidecom y Fondecyt" 31 de mayo de 2012 "Pueden las patentes medir el grado de innovaciónde una sociedad" María Rivera y Modesto Montoya